SOU DO CEARÁ


"Eu sou de uma terra que o povo padece
Mas não esmorece e procura vencer.
Da terra querida, que a linda cabocla
De riso na boca zomba no sofrer
Não nego meu sangue, não nego meu nome
Olho para a fome , pergunto o que há ?
Eu sou brasileiro, filho do Nordeste,
Sou cabra da Peste, sou do Ceará."


Patativa do Assaré

sábado, 31 de dezembro de 2011

NOTÍCIAS DA GREVE DOS POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES

O clima esteve tenso em meio à paralisação dos policiais; viaturas tiveram os pneus furados (FOTO: MAURI MELO)
" O clima esteve tenso em meio à paralisação dos policiais; viaturas tiveram os pneus furados"
(FOTO: MAURI MELO)



" Mesmo sem policiais nas ruas, comandantes negam adesão "


" O POVO percorreu 15 bairros de Fortaleza. O clima era de tensão nas Companhias da Polícia Militar "


  " O clima foi de tensão e ousadia nas Companhias da Polícia Militar, espalhadas pela Capital, no dia de ontem. Nos nove batalhões visitados pelo O POVO, comandantes minimizavam a ação dos manifestantes da PM, alegando “tranquilidade”. Em outros, assumiam paralisação, apesar de negarem o envolvimento do efetivo. Em todos, conforme policiais militares de serviço, que preferiram não se identificar, a ordem era o aquartelamento.


O POVO percorreu 15 bairros da Capital e não viu nenhuma viatura da PM trabalhando. A equipe de reportagem passou pelo Centro, São Gerardo, Antônio Bezerra, Cristo Rei, Pirambu, Aldeota, Messejana, Parangaba, Tancredo Neves, Luciano Cavalcante, Maraponga, Conjunto Ceará, São Cristóvão, Benfica e Meireles. Apenas no Posto de Observação no cruzamento das avenidas Raul Barbosa e Capitão Aragão, foram vistos dois policiais trabalhando, no início da manhã.

A estratégia dos manifestantes era tomar as chaves das viaturas e levá-las até a 6ª Companhia do 5º Batalhão, no Antônio Bezerra. O local foi o ponto de concentração escolhido pela categoria. Os carros da PM tiveram os pneus esvaziados ou furados. O POVO contou 90 veículos danificados até as 20 horas de ontem.

Um dos locais onde os manifestantes agiram foi no 30º Distrito Policial, no Conjunto São Cristóvão. Os policiais do Ronda estavam na delegacia para uma ocorrência quando foram surpreendidos por um grupo encapuzado. “Eram cerca de 30. Tomaram a chave das mãos dos policiais e levaram as duas viaturas”, disse uma testemunha.

Na 2ª Cia/5º BPM, em Messejana, cerca de 15 policiais encapuzados se posicionaram em frente à unidade em sinal de protesto e adesão à paralisação. No estacionamento, 10 das 16 viaturas estavam com os pneus furados.

Ainda assim, o comandante capitão Ribeiro afirmou que “todo o efetivo de serviço estava trabalhando normalmente” e que o conserto das viaturas seria feito, “mesmo que fosse do próprio bolso”, e que as colocaria na rua.

Na 7ª Cia/5º BPM, na Parangaba, major Tomaz disse que as equipes do Policiamento Ostensivo Geral (POG) e Ronda estavam “trabalhando normalmente”. Lá fora, policiais procuraram a reportagem, sob confidência, para descrever a realidade. “Desconsidere o que foi dito como oficial. Aqui, está todo mundo parado. Ninguém nas ruas”, garantiu um deles.

Como medida de segurança, o Palácio da Abolição foi isolado ontem. Policiais, inclusive do Batalhão de Choque, reforçavam a segurança. O acesso de pedestres e veículos ficou bloqueado em todo o entorno da 1ª Cia/5º BPM, no Meireles, localizado próximo ao Palácio da Abolição.

Na 4ª Cia/6º BPM, no Conjunto Ceará, poucos policiais cumpriam o expediente. “Estão todos na concentração do Comando Geral. Estamos indo para lá também”, disse um policial do Ronda. O comandante major Océlio Alves negou a ausência do efetivo na unidade. “Está tudo normal. Nenhum policial faltou e estão todos nas ruas, trabalhando”, disse. (Colaboraram Tiago Braga e Geimison Maia).


ENTENDA A NOTÍCIA
O POVO percorreu Fortaleza no dia em que a paralisação dos PMs e Bombeiros ganhou dimensões de quase totalidade. Viaturas não foram vistas em 15 bairros. Apesar disso, comandantes das companhias negaram adesão.

Saiba mais

Na 5ª CIA/5º BPM, no Centro, o comandante do Ronda, capitão Alex Ferreira, afirmou que nenhum policial aderira à paralisação. Nenhum policial quis se manifestar.

Comandante da 3ª CIA/5º BPM, major Marden, também negou adesões à greve.

No BPTur, a informação era de que apenas três viaturas estavam no local. O restante havia sido levado para a 6ª CIA/5º BPM."



Sara Rebeca Aguiar
sararebeca@opovo.com.br


Viviane Gonçalves
vivi@opovo.com.br

FONTE: JORNAL O POVO
http://www.opovo.com.br/app/opovo/fortaleza/2011/12/31/noticiafortalezajornal,2366197/mesmo-sem-policiais-nas-ruas-comandantes-negam-adesao.shtml

---------------------------------------


MAIS NOTÍCIAS:



" Paralisação se estende a cidades do Interior "


" A paralisação dos Policiais Militares e Bombeiros, que se avolumou durante todo o dia de ontem, na Capital, se estendeu a alguns municípios da Região Metropolitana de Fortaleza e muitas cidades
do Interior. "


" De acordo com um dos coordenadores da paralisação, capitão Wagner Sousa, também presidente da Associação dos Profissionais de Segurança Pública do Estado do Ceara (Aprospec), o movimento obteve relevante adesão de Caucaia, Maracanaú, Paraipaba, Camocim, Itapipoca, Tianguá e Sobral.


O POVO tentou contato com os municípios, mas apenas Sobral e Caucaia se manisfestaram.

De acordo com o sargento Marley, da 1ª Companhia do 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM), de Sobral, até o fim da tarde de ontem, nove das dez viaturas da unidade estavam paralisadas. “A última que está faltando já está aderindo também”, afirmou.

Ele acrescentou que a intenção é aquartelar todo os militares da cidade. “Não queremos causar baderna, estamos desarmados. A intenção é continuar dessa forma, até que surja negociação. Mas tem que vir algo de concreto e não apenas promessa”, advertiu o sargento.


Na 2ª Companhia do 6º BPM, em Caucaia, O POVO foi informado que apenas 16 das 22 viaturas de plantão estavam paradas; 32 policiais militares da unidade aderiram à mobilização."
 
(SRA)

FONTE:  JORNAL O POVO
http://www.opovo.com.br/app/opovo/fortaleza/2011/12/31/noticiafortalezajornal,2366203/paralisacao-se-estende-a-cidades-do-interior.shtml


---------------------------------------------------------------------------------



" População apreensiva com a falta de policiais"


" A falta de policiais militares nas ruas foi sentida pela população ontem. Quem estava acostumado a ver o vai-e-vem das viaturas no Conjunto Ceará, próximo à 4º Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar (BPM), estranhou o cenário. “A gente vê sempre as viaturas trafegando por essa área. Hoje, não vimos nada. A impressão é que a cidade está mesmo sem policiamento”, comenta a autônoma Eliane Alves, 25.

Na Maraponga, o gerente Gilvan Martins, 47, também estava receoso sobre a segurança na Capital. “Estamos avaliando o fechamento do comércio mais cedo que o previsto. Temos segurança preventiva, mas não é suficiente nesse momento”, acredita.

Com a ameaça de continuidade da paralisação dos PMs até o Réveillon, muita gente está buscando uma nova programação - evitando os espaços públicos, com grande concentração. A possível adesão dos agentes de trânsito, motoristas, cobradores e fiscais de ônibus ao movimento acaba ampliando a sensação de insegurança. A analista de crédito Francisca Carlos, 24, estava pensando em conferir a festa no Polo de Lazer do Conjunto Ceará. Porém, desistiu. “Vou ficar em casa mesmo, não quero arriscar”, comentou.

O autônomo Antônio da Rocha Lima, 63, também vai ficar em casa. Ele concorda com a pauta de reivindicações dos PMs, mas critica a forma como está sendo executada. “A sociedade não pode ser prejudicada dessa forma. A cidade vai ficar mais perigosa”, acredita."
 
(VG) 


FONTE:  JORNAL O POVO
http://www.opovo.com.br/app/opovo/fortaleza/2011/12/31/noticiafortalezajornal,2366202/populacao-apreensiva-com-a-falta-de-policiais.shtml


---------------------------------------------------------------



As manifestações estão concentradas na 6ª Companhia do 5º Batalhão, no bairro Antônio Bezerra (FOTO: ANDRÉ SALGADO) 
" As manifestações estão concentradas na 6ª Companhia do 5º Batalhão,
no bairro Antônio Bezerra "
(FOTO: ANDRÉ SALGADO)


 " Força Nacional e Exército reforçam a segurança"

" O POVO apurou que 70 homens da Força Nacional chegaram para reforçar a segurança do Réveillon. Além disso, a presidente Dilma autorizou a atuação do Exército no apoio à segurança do Ceará"


 
" A Força Nacional de Segurança, órgão ligado ao Ministério da Justiça, foi chamada para reforçar o policiamento de Fortaleza no Réveillon 2012, em virtude da paralisação de policiais e bombeiros militares. O tamanho do efetivo não foi divulgado pelo Ministério, que alega razões de segurança. O POVO apurou que 70 homens chegaram na noite de ontem e mais 130 devem chegar na segunda-feira, 2, vindos de Brasília (DF).

Além disso, a presidente Dilma Rousseff assinou na noite de ontem uma portaria, publicada em edição extra do Diário Oficial, autorizando a atuação do Exército no apoio à segurança pública do Ceará.

O Comando da 10ª Região Militar marcou uma reunião para hoje de manhã, onde decidirá como o Exército entrará no reforço ao esquema de segurança de Fortaleza. O horário do encontro não foi repassado pelo setor de Relações Públicas (5ª Seção) da 10ª RM.

No 23º Batalhão de Caçadores, na avenida 13 de Maio, a informação dada ontem, no início da noite, é que a tropa militar já está a postos para a eventualidade de ser acionada. A Prefeitura de Fortaleza afirma que o número de seguranças particulares para o Réveillon não será ampliado. Serão contratados 280 homens para o aterro.

A população cearense acompanhou com apreensão o primeiro dia de paralisação dos militares. As manifestações estão concentradas na 6ª Companhia do 5º Batalhão da Polícia Militar, no bairro Antônio Bezerra. Segundo o presidente da Associação dos Profissionais de Segurança Pública do Estado do Ceará (Aprospec), capitão Wagner Sousa, três mil policiais aderiram à paralisação.

O quartel foi ocupado por volta das 19 horas da quinta-feira, 29, após decisão pela paralisação durante assembleia de militares realizada na tarde do mesmo dia. Na manhã de ontem, cerca de 80 viaturas do Ronda interditavam a rua Anário Braga, onde fica a 6ª CIA. Todas elas tiveram os pneus esvaziados pelos manifestantes. A todo o momento, novas viaturas chegavam ao local, o que sempre rendia muita comemoração dos paredistas, que gritavam: “Cid ditador, a Polícia já parou”. A estimativa do comando é de que mais de 100 viaturas estejam paradas em Fortaleza.

Os manifestantes cobriam os rostos com máscaras, capuzes e camisas, para não serem identificados. O presidente da Associação de Cabos e Soldados Militares do Ceará, Flávio Sabino, estima que quase mil militares e familiares tenham passado pela 6ª CIA. As esposas dos militares também foram ao local, prontas para impedir a saída dos PMs.


ENTENDA A NOTÍCIA
A Força Nacional de Segurança foi chamada para reforçar o policiamento do Réveillon 2012 em Fortaleza, após policiais e bombeiros iniciarem a paralisação por tempo indeterminado. Exército também pode ser convocado

Força Nacional

Criada em 2004, a Força Nacional de Segurança atende às necessidades emergenciais dos estados, em questões onde se fizerem necessárias a interferência maior do poder público ou for detectada a urgência de reforço na área de segurança.

Segundo o Ministério da Justiça, é formada pelos melhores policiais e bombeiros dos grupos de elite dos estados, que passam por um rigoroso treinamento na Academia Nacional de Polícia (da Polícia Federal), em Brasília.


A Força Nacional de Segurança é acionada sempre que situações de distúrbio público, em qualquer ponto do Brasil, requerem sua presença. Porém, é necessário que exista a aprovação do governador do estado na sua utilização."


Geimison Maia
geimisonmaia@opovo.com.br




FONTE:  JORNAL O POVO
http://www.opovo.com.br/app/opovo/fortaleza/2011/12/31/noticiafortalezajornal,2366193/forca-nacional-e-exercito-reforcam-a-seguranca.shtml


Nenhum comentário:

Postar um comentário